Pouco para dizer, muito para escutar, tudo para sentir. A propósito do programa de rádio
ÍNTIMA FRACÇÃO OUVIR ON-LINE ou PODCAST

 


>
Íntima Fracção
> um programa de Francisco Amaral
>
> Contacto:
franciscoamaral@gmail.com


> RSS Feeds

>
Arquivos
12/2002
01/2003
02/2003
03/2003
04/2003
05/2003
06/2003
07/2003
08/2003
09/2003
10/2003
11/2003
12/2003
01/2004
02/2004
03/2004
04/2004
05/2004
06/2004
07/2004
08/2004
09/2004
10/2004
11/2004
12/2004
01/2005
02/2005
03/2005
04/2005
05/2005
06/2005
07/2005
08/2005
09/2005
10/2005
11/2005
12/2005
01/2006
02/2006
03/2006
04/2006
05/2006
06/2006
07/2006
08/2006
09/2006
10/2006
11/2006
12/2006
01/2007
02/2007
03/2007
04/2007
05/2007
06/2007
07/2007
08/2007
09/2007
10/2007
11/2007
12/2007
01/2008
02/2008
03/2008
04/2008
06/2012
05/2015
04/2016
09/2016
12/2016
04/2017

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

 



 

 

 

14.12.07
 
Em trânsito para o Expresso online, vou disponibilizar mais uma IF pelas vias habituais.

Não quero (nunca o fiz), falar apenas de música aqui no blog. Por que havia de o fazer ? A IF não é um programa - agora "apenas" um podcast - sobre música. A música é a matéria plástica com que se contrói a IF. Uma das.
Por isso, ao rever o filme Grande Hotel (1932), a primeira super-produção com várias estrelas de Hollywood, o célebre filme que inclui a frase da Garbo, "I want to be (let) alone", fiz um paralelismo entre aquela época e a que se vive agora, em Portugal, envolvendo mais gente do que se pensa.
Diálogo entre a perturbante estenógrafa (Joan Crawford) e um dos galãs do filme, o Baron Felix von Geigern (John Barrymore) :

Joan : Não quero chá ... não quero estragar o jantar que é a minha única refeição ...
John : A emagrecer ?
Joan : Acha que preciso ?
John : Não ... uhmmm ... claro que não ... mas, uma refeição por dia ?
Joan : Sim
John : E não é para emagrecer ? Então por quê ?
Joan : Dinheiro ! ... Já ouviu falar ?
John : Acho que sim, vagamente ...

Este post não devia ter sido colocado à hora do jantar ... Que me desculpem os mais sensíveis, humanitaria e politicamente.

A cena está contida neste extracto.


0 Comentários
início