Pouco para dizer, muito para escutar, tudo para sentir. A propósito do programa de rádio
ÍNTIMA FRACÇÃO OUVIR ON-LINE ou PODCAST

 


>
Íntima Fracção
> um programa de Francisco Amaral
>
> Contacto:
franciscoamaral@gmail.com


> RSS Feeds

>
Arquivos
12/2002
01/2003
02/2003
03/2003
04/2003
05/2003
06/2003
07/2003
08/2003
09/2003
10/2003
11/2003
12/2003
01/2004
02/2004
03/2004
04/2004
05/2004
06/2004
07/2004
08/2004
09/2004
10/2004
11/2004
12/2004
01/2005
02/2005
03/2005
04/2005
05/2005
06/2005
07/2005
08/2005
09/2005
10/2005
11/2005
12/2005
01/2006
02/2006
03/2006
04/2006
05/2006
06/2006
07/2006
08/2006
09/2006
10/2006
11/2006
12/2006
01/2007
02/2007
03/2007
04/2007
05/2007
06/2007
07/2007
08/2007
09/2007
10/2007
11/2007
12/2007
01/2008
02/2008
03/2008
04/2008
06/2012
05/2015
04/2016
09/2016
12/2016
04/2017

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

 



 

 

 

27.2.03
 
Por vezes, parece-me que o outro lado está frio e vazio como a noite. Afinal, não. Pelo menos os ouvintes do fórum estão lá.
Do outro lado (do mar) recebi notícias de um ciberouvinte ( até quando Júlio ? ). Ele tem o seu próprio blog.
Enquanto houver corações ligados aos ouvidos, talvez não se confirme a canção dos Buggles "Video killed the radio stars".


0 Comentários
26.2.03
 

Sinais. Parou a chuva. Corre um vento gelado.
Onde estarão os ouvintes da Íntima Fracção ?


0 Comentários
25.2.03
 
Noite de chuva.
Receio sempre que as gotas se transformem em lágrimas.
Sinto uma sensação estranha de abandono. Onde estarão agora os ouvintes da IF ?



Lembro duas músicas em que este estado de alma ( que a chuva persistente provoca ) está bem retratado. "Rainy night in Georgia" (Brook Benton) " ... it seems like raining all over the world". "Video Maria" (GNR) " ... tarde de chuva é península inteira a chorar."



A pintura lá em cima é de Stephanie Noble. Está na Net. Resolvi dizer isto porque se estão a levantar problemas com os direitos de autor nos weblogs. Este assunto ainda só agora começou. Espero que os weblogs não sejam considerados uma versão disfarçada do Napster. E a propósito ... tenho saudades tenho. E ainda mais do Audiogalaxy. Mas não será possível avançar com um serviço destes, pago baratinho, mas que não tenha só músicas desta ou daquela editora ?

0 Comentários
23.2.03
 


Realizar uma IF com música portuguesa não é impossível, mas é difícil. Há discos de música portuguesa ( que eu não confundo com música em português ) que gostaria imenso de utilizar na IF. Para isso teria que pensar muito bem numa realização adaptada a essa circunstância. Estou sinceramante a pensar fazê-lo, como forma de dar o meu pequenino apoio à música portuguesa. Só que não aceito bem que, em debates sobre o assunto, aparecerem "artistas" como Emanuel, Ágata, Toy e respectivos protegidos. A pimbalhada está em todo o lado e em outros países europeus já existe há mais tempo do que cá. Não fazem música portuguesa. Cantam em português, sabe-se bem o quê !
Não esqueçam que o indicativo da IF é da Sétima Legião. Já passei música portuguesa na IF : Madredeus, Né Ladeiras, Fé de Sábio, Jorge Palma ( um tema feito de propósito sobre o Natal ) e Sérgio Godinho, com a canção que é a minha paixão dentro da música portugusa, "A noite passada".
Entrevistei o Sérgio Godinho, pelo menos duas vezes, em tardes de espectáculo à noite. Numa das vezes ele escreveu-me uma frase muito bonita, junto à letra de "A noite passada", depois de lhe ter confessado a importância que aquele música tinha para mim.
Ah ! Também passei o José Afonso, claro. "Maio, maduro Maio" e ainda o "Senhor Arcanjo" ( com uma entrada fabulosa em que participa o José Mário Branco ). Portugueses em inglês passei os "Gift". Eles são entusiastas da Íntima Fracção. Disseram-me que tinham gravado pedaços do programa, naquela fase de construção do grupo. Convidaram-me para ir ao concerto que deram em frente ao Mosteiro da sua Alcobaça. Eu, pouco virado para estas coisas, vi o espectáculo em directo na SIC-Radical, quando ainda se faziam transmissões destas ( e não se dava tanto tempo a "broeiros" Cabarets da Coxa ! ). Fiquei muito impressionado com o espectáculo e resolvi pegar no tema "Question of love" e remisturá-lo imaginando como o teria ouvido se lá tivesse estado, entre o back-stage e o público. Há partes em que me imagino a percorrer corredores, a subir e a descer escadas dentro do Mosteiro, enquanto os Gift continuavam a tocar cá fora. Depois, o que mais me impressionou, foi ter entrevistado para a Televisão a vocalista e a Sónia, afinal, era pequenina e nada senhoril. Em palco sempre me tinha passado a imagem de alguém maior e mais velho.


0 Comentários
 
INTIMA FRACÇÃO
22/23 de Fevereiro 2003

# Lambchop : I can hardly spell my name
# Beck : Dead melodies
# The Orb : Perpetual Dawn (extracto)
# Penguin Cafe Orchestra : Yodel 1
# Brian Eno : Silver Morning
# Massive Attack : Everywhen
# Pink Floyd : Us and them (echoes)
# Brokeback : Another routine day breaks
# The Passions : I'm in love with a german film star
# Telegraph Melts : Septembrist

# Zero 7 : Monday Night
# The Montgolfier Brothers : Even if my mind can tell you
# Múm : I can't feel my hand anymore
# John Barry : Mountain sunset
# Angelo Badalamenti : Nostalgia
# Ray Charles : Don't let the sun catch you cryin'
# Rune Lindaeck : Sondags

créditos sobre # The Poni-Tails : Born to late
música suplementar # Departure Lounge : A strange descent

Textos :

" A poesia é feita a favor de todos, sobretudo daqueles que não podem compreendê-la. A poesia são alguns dos traços do meu rosto, que aos poucos desvendo e desde sempre ofereço. "
" Tentando libertar-nos do tempo, escolhemos ora o eterno presente, ora o eterno passado, ora o eterno futuro." (João Wiborg)
" A impressão que se tem, no limiar do despertar, quando os esforços impacientes que fazemos para retomar um sonho agradável só servem para sublinhar a impossibilidade de reconstituir o estado anterior." (Mishima)
"Como se todos as esperanças, há muito esquecidas, não se tivessem concretizado e fossem, agora, de novo possíveis." (textos próprios)


0 Comentários
22.2.03
 
Como se todas as esperanças, há muito esquecidas, não se tivessem concretizado e fossem, agora, de novo possíveis.


0 Comentários
18.2.03
 
INTIMA FRACÇÃO
15 / 16 Fevereiro de 2003

# Giant Sand : Astonished
# Nick cave : Still in love
# Looper : Back to the tree house
# Cousteau : To know her
# Robert Wyatt : Memories of you
# The Gotan Project : Round about midnight
# Cat Power : Wild is the wind
# John Cale : Close watch ( versão antiga )
# Bassic : Televisionary

# Eels : Jennifer Eccles ( cover dos Holies )
# Goldfrapp : Utopia ( miss world remix )
# Penguin Cafe Orchestra : Perpetum Mobile
# Wayne Horvitz : Close to you ( cover Carpenters )
# Labradford : Wien
# Czars : Song to the siren ( Tim Buckley cover )
# Cousteau : You, my lunar queen
# Zwan : Of a broken heart
# Impostor Orchestra : Secrets will remain
# Trash Can Sinatras : You only live twice ( cover )

créditos finais sobre # Human League : MirrorMan
música suplementar # Lucky Pierre : Angels on your body

Textos : " Noites onde se depositam sempre as mesmas interrogações. Noites que se riscam sempre com a luz das mesmas esperanças. A violência da esperança longamente em repouso."
" A solidão dispensa o silêncio, mas o silêncio exige a solidão."
" Esta intimidade, está apenas numa fracção. Um pequeno cristal que vibra por si. Brilhando. Persistentemente no meio da noite."
" Suaves e brilhantes reflexos, como uma pequena pérola rolando pela palma da mão estendida à janela da escuridão desta noite. O clarão, o brilho mais intenso, todos o sabemos, vem sempre de dentro." - textos próprios.
" Desejo a simplicidade, a calma, o sossego, o silêncio, a música. Não me preocupo em chegar, pois a viagem não tem fim. apenas há a viagem. Tento que ela seja perfeita, doce, rigorosa, exacta, maleável, precisa. Via da felicidade. A viagem é a arte da alegria. Tento que ao longo dela o coração se encha, que toque o mais profundo e mais alto, o mais central, o mais autêntico, o mais absoluto." João Wiborg.

0 Comentários
17.2.03
 
Dificuldades de acesso ao meu arquivo, não permitiram colocar aqui ainda o alinhamento e os textos da emissão da noite de 15 / 16 Fevereiro. Dentro de algumas horas o material será aqui publicado.
Entretanto, lancei no Fórum "Íntima Fracção", criado e alimentado por ouvintes da IF, uma pergunta. Agradeço respostas.

0 Comentários
13.2.03
 
Os alinhamentos da IF só serão aqui colocados depois das emissões. Podia dar jeito dar uma vista de olhos para ver se valia a pena ouvir. Mas ao mesmo tempo, enquanto o programa não era transmitido, a lista podia ser confundida com uma ... "playlist". A revelação prévia, julgo, diminui também muito o efeito que a construção da IF procura criar.
De qualquer forma, fica já aqui dito, que a próxima edição da IF vai ter Penguin Cafe Orchestra. Durante vários anos esta pequena orquestra vinha muitas vezes à IF. Ultimamente nem tanto. Os álbuns favoritos são o que tem o nome da PCO (1981) e "Broadcasting from home" (1984). Com este título não podia ser alheio à IF. Este grupo viveu sempre coordenado pelo talento de Simon Jeffes, que morreu, prematuramente, em 1997. Eu vi a PCO em concerto. Era uma experiência trascendente. Actuavam sentados, tocando os mais diversos instrumentos, distinguindo-se em palco Annie Whitehead, no trombone. Simon Jeffes, o "dono da bola", estava ao centro do palco, mas era um tímido. Num dos espectáculos a que assisti, esqueceu-se do nome de uma música e foi o público que lhe disse como se chamava. Tive oportunidade de o entrevistar, com a grande ajuda da Né Ladeiras (trabalhámos juntos na rádio). Falou quase uma hora connosco. Era uma pessoa extraordinariamente simples. Um criador humilde, que é muito diferente de um humilde criador.


0 Comentários
12.2.03
 
"A noite nunca é completa. Há sempre, digo-o e afirmo-o, ao fundo da mágoa, uma janela aberta, uma janela iluminada."

Paul Éluard


0 Comentários
8.2.03
 
INTIMA FRACÇÃO
8 / 9 de Fevereiro de 2003

# Piano Magic : Dark secrets look for light
# Pascal Comelade : I surrender ( versão inst. de um tema dos Suicide )
# Anja Garbarek : Smiling, waving
# Cornelius : Tone Twilight Zone
# Nick Cave : Far from me
# David Sylvian : Camp fire
# Low & Spring Heel Jack : Hand so small
# Associates : Nothinginsomethingparticular
# Howie B. : Maniac Melody
# Ennio Morricone : Midnight Cowboy
# Durutti Column : Tomorrow
# Rubinstein : Cathedral

# Broadcast : Echo's answer
# Nick Cave : Still in love
# Beth Gibbons & Rustin' Man : Romance
# Björk : You only live twice
# Chet Baker : Almost Blue ( ao vivo )
# Pascal Comelade : Put a straw under baby
# Múm : Sunday night just keeps on rolling
# extracto da BSO do filme "Todo sobre mi madre" - música de Alberto Iglésias

créditos sobre # Joe Meek and the Blue Man : I hear a new world
música suplementar # Bent : Winter ; # Giant Sand : Astonished ( se houver tempo )

Textos: improvisos e colagens a partir de Amélia Alexandre, Fernando Pessoa e Roland Barthes.

" ´São sempre longe as músicas que soam; repito-as com uma voz que não ouço. (mal sei que as digo ...) para que a estátua de anjo dos palácios da alma, não se quebre." ( Amélia Alexandre )
" O mundo exterior existe como um actor num palco : está lá mas é outra coisa."
" Tenho um receio íntimo dos gestos a esboçar, uma timidez intelectual das palavras a dizer. Tudo me parece antecipadamente fruste. "
" Há sensações que são sonos, que ocupam como uma névoa toda a extensão do espírito, que não deixam agir, que não deixam claramente ser. Como se não tivessemos dormido, sobrevive em nós qualquer coisa de sonho ... " ( Fernando Pessoa )
" Quando a exaltação morreu, fiquei reduzido à mais simples filosofia : a da resistência. Sofro sem me acomodar, persisto sem me aguerrir : sempre perdido, nunca desencorajado; sou uma boneca Daruma, um boneco sem pernas que sofre incessantes piparotes mas que, finalmente, retoma o seu equilíbrio, estabilizado por uma quilha interior. É isto que diz um poema popular que acompanha estas bonecas japonesas: Assim é a vida. Cair sete vezes e levantar-se oito." ( Roland Barthes )

0 Comentários
5.2.03
 
Encontrei por acaso um fórum com um tópico "Íntima Fracção". Confirmo que o indicativo da IF é "Mar d'Outubro" da Sétima Legião, no seu primeiro album " A um deus desconhecido ".
Quanto à versão de Björk para "You only live twice", ela foi incluída numa hora da IF totalmente preenchida com versões e remisturas desse tema. Essa hora foi repetida há uns dois meses, porque houve vários pedidos nesse sentido. Um jornalista do "Público" pediu-me mesmo uma gravação da hora "You only live twice". Está também prometida uma outra a um ouvinte de Aveiro.
O fórum é muito simpático com a IF. Que bom ter ouvintes assim.

0 Comentários
 
"Dark secrets look for light".
À data, querem melhor título ? É dos Piano Magic. Passou no último sábado na IF.

0 Comentários
1.2.03
 
Os textos da IF de 1 para 2 de Fevereiro 2003, representam um regresso aos primórdios. " Fragmentos de um discurso amoroso" de Roland Barthes, é um livro editado pela primeira vez em 1977. A tradução portuguesa ( de Isabel Gonçalves ), que possuo desde 1979, está toda anotada, riscada e até deteriorada.

Juntamente com "O tempo, esse grande escultor" de Margueritte Yourcenar, são as duas fontes mais antigas que alimentam a IF. Os títulos destas obras revelam também muito daquilo que sempre foi a IF.

Esta emissão inclui também um tema que, normalmente, não faria parte da linha musical da IF ( por mais eclética que seja ). Mas a revisão de "You killed the clown", dos Thompson Twins, trouxe-me, de súbito, a estranha sensação de os anos 80 já terem passado há muito. Desde a II Guerra Mundial, tudo parece ter já passado há muito (anos 50, 60, 70). Mas os anos 80 pareciam-me mais próximos. Tive agora a sensação de nostalgia em relação à década de 80. Não no que eles produziram de perene, mas no lado efémero. "O tempo, esse grande escultor.".

0 Comentários
 
ÍNTIMA FRACÇÃO
1 / 2 Fevereiro 2003

# Lambchop : Flick
# Rolling Stones : Backstreet girl
# Aqua Bassino : Moon Light
# Brokeback : Running scare
# Billy MacKenzie : It's over
# Thompson Twins : You killed the clown
# Rober Wyatt : Speechless ( inst.)
# Costeau : To know her
# Anywhen : Dinan and the beautiful blue
# Brian Eno : Always returning

# Yann Tiersen : L'autre valse
# Impostor Orchestra : Secrets will remain
# Lambchop : The distance from her to there
# Piano Magic : Wrong french
# Piano Magic : Dark secrets look for light
# Tristeza : Cinematography
# Nina Simone : Don't let me be misunderstood
# Labradford : Up to pizmo
# King Crimson : Cadence and Cascade

créditos finais sobre # Burt Bacharach : This guy's in love with you
música suplementar # Alan Parsons Project : If i could change your mind
indicativo # Sétima Legião : Mar d' Outubro

Textos : colagens e improvisos com material de Roland Barthes, " Fragmentos de um discurso amoroso ".

" Afirmo o primeiro encontro na sua diferença, quero o seu regresso, não a sua repetição. Digo ao outro (velho ou novo) : Recomecemos.
" O imperfeito é o tempo do fascínio : parece estar vivo e, no entanto, não mexe. Presença imperfeita, morte imperfeita; nem esquecimento, nem ressurreição; unicamente o engano esgotante da memória."
" Posso ser ouvido por todos, mas só posso ser escutado pelos que têm exactamente e presentemente a mesma linguagem que eu."
" O episódio hipnótico, diz-se, é normalmente precedido de um estado crepuscular; o sujeito está de algum modo vazio, disponível, pronto, sem o saber, para o rapto que o vai surpreender."
" O número de cadeiras era igual ao número de crianças menos uma; enquanto as crianças rodavam, uma senhora martelava num piano; quando parava, todos se precipitavam para as cadeiras e se sentavam, excepto o menos hábil, o menos brutal ou o mais infeliz, que ficava de pé, feito tolo, a mais : o apaixonado."

0 Comentários
início