Pouco para dizer, muito para escutar, tudo para sentir. A propósito do programa de rádio
ÍNTIMA FRACÇÃO OUVIR ON-LINE ou PODCAST

 


>
Íntima Fracção
> um programa de Francisco Amaral
>
> Contacto:
franciscoamaral@gmail.com


> RSS Feeds

>
Arquivos
12/2002
01/2003
02/2003
03/2003
04/2003
05/2003
06/2003
07/2003
08/2003
09/2003
10/2003
11/2003
12/2003
01/2004
02/2004
03/2004
04/2004
05/2004
06/2004
07/2004
08/2004
09/2004
10/2004
11/2004
12/2004
01/2005
02/2005
03/2005
04/2005
05/2005
06/2005
07/2005
08/2005
09/2005
10/2005
11/2005
12/2005
01/2006
02/2006
03/2006
04/2006
05/2006
06/2006
07/2006
08/2006
09/2006
10/2006
11/2006
12/2006
01/2007
02/2007
03/2007
04/2007
05/2007
06/2007
07/2007
08/2007
09/2007
10/2007
11/2007
12/2007
01/2008
02/2008
03/2008
04/2008
06/2012
05/2015
04/2016
09/2016
12/2016
04/2017

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

 



 

 

 

30.9.07
 
POST QUE NÃO É AINDA UM AJUSTE DE CONTAS

28 Setembro 2003
Durante dias fui-me lembrando.
No próprio dia, 28 de Setembro, esqueci-me.
Mas é algo que não se apagará nunca.
28 de Setembro 2003.

Depois de 14 anos consecutivos, a Íntima Fracção passou pela última vez na TSF.
Arrastada pela remodelação preparada na sombra por Emídio Rangel e executada por uma sua extensão (José Fragoso), a IF foi atirada borda fora, juntamente com outras marcas da casa (Flashback, Grande Júri, Jazz Avenue, ...). Carlos Andrade, o director da TSF durante 9 anos e responsável pela sua estabilização, já fora empurrado para fora da Matinha. Não dei por que o poeta da casa tenha vertido uma lágrima. Passado pouco tempo, alguns dos melhores radialistas da rádio portuguesa, dos mais antigos (Aníbal Cabrita) aos mais novos (Francisco Mateus), foram formatados nas célebres playlists.
Aliás foi Francisco Mateus que, corajosamente, fez um elogio de 15 minutos em antena antes de entrar no ar a última IF na TSF.
Foi um sábado. Dia cinzento que terminaria em mal disfarçadas lágrimas caídas do céu.
Um percurso de quase vinte anos era rudemente interrompido. Nunca mais fui o mesmo, mas a IF sobreviveu graças a um inesperado (para mim) apoio de um muito vasto número de ouvintes e apreciadores.
A TSF iniciou gradualmente o seu esvaziamento e a PT vendeu-a, como na altura me parecia ser já a sua intenção. Banalizou-se e não consigo ouvi-la.
Da noite de 28 de Setembro de 2003 não guardei nada. A não ser um íman com a língua Rolling Stones que tocaram em Coimbra nessa noite. Não estive no estádio. O concerto acabou quando a IF foi para o ar. Mick Jagger filmou a sua chegada a Coimbra e ao estádio. É essa recordação que me sobra e que pode ser vista aqui em baixo.
De fundo, ele próprio colocou Coming down again ...


0 Comentários
início