Pouco para dizer, muito para escutar, tudo para sentir. A propósito do programa de rádio
ÍNTIMA FRACÇÃO OUVIR ON-LINE ou PODCAST

 


>
Íntima Fracção
> um programa de Francisco Amaral
>
> Contacto:
franciscoamaral@gmail.com


> RSS Feeds

>
Arquivos
12/2002
01/2003
02/2003
03/2003
04/2003
05/2003
06/2003
07/2003
08/2003
09/2003
10/2003
11/2003
12/2003
01/2004
02/2004
03/2004
04/2004
05/2004
06/2004
07/2004
08/2004
09/2004
10/2004
11/2004
12/2004
01/2005
02/2005
03/2005
04/2005
05/2005
06/2005
07/2005
08/2005
09/2005
10/2005
11/2005
12/2005
01/2006
02/2006
03/2006
04/2006
05/2006
06/2006
07/2006
08/2006
09/2006
10/2006
11/2006
12/2006
01/2007
02/2007
03/2007
04/2007
05/2007
06/2007
07/2007
08/2007
09/2007
10/2007
11/2007
12/2007
01/2008
02/2008
03/2008
04/2008
06/2012
05/2015
04/2016
09/2016
12/2016
04/2017

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

 



 

 

 

26.8.07
 
Umas horas à conversa com o Hugo Pinto.
Uma tarde morna.
Há mais de três anos que não nos víamos. Não significa nada. Há almas que se cruzam uma vez e encontrar-se-ão eternamente.
A tarde vai caindo e vou compreendendo a minha solidão. Uma solidão de sistema, com uma única aparente fuga, sem nunca saber onde está a saída. "Só se foge quando se tem para onde".
O Hugo viaja.
Tem ainda tempo para viver do outro lado do mundo. Cresceu, mas ri tão pouco como eu.
Fala-me de Quioto. Faz-me sentir a atmosfera da música dos Air.
Oferece-me uma caixa com 10 DVDs de Wong Kar-wai.
Eu continuarei sempre a ouvir as suas magníficas Miss Tapes.
Recordando a conversa, deixo-lhe dois vídeos dos Fleetwood Mac.

Albatross (1969), instrumental do tempo de Peter Green, que passa na próxima IF.
E Sara, com a voz de Steve Nicks (1979).




0 Comentários
início