Pouco para dizer, muito para escutar, tudo para sentir. A propósito do programa de rádio
ÍNTIMA FRACÇÃO OUVIR ON-LINE ou PODCAST

 


>
Íntima Fracção
> um programa de Francisco Amaral
>
> Contacto:
franciscoamaral@gmail.com


> RSS Feeds

>
Arquivos
12/2002
01/2003
02/2003
03/2003
04/2003
05/2003
06/2003
07/2003
08/2003
09/2003
10/2003
11/2003
12/2003
01/2004
02/2004
03/2004
04/2004
05/2004
06/2004
07/2004
08/2004
09/2004
10/2004
11/2004
12/2004
01/2005
02/2005
03/2005
04/2005
05/2005
06/2005
07/2005
08/2005
09/2005
10/2005
11/2005
12/2005
01/2006
02/2006
03/2006
04/2006
05/2006
06/2006
07/2006
08/2006
09/2006
10/2006
11/2006
12/2006
01/2007
02/2007
03/2007
04/2007
05/2007
06/2007
07/2007
08/2007
09/2007
10/2007
11/2007
12/2007
01/2008
02/2008
03/2008
04/2008
06/2012
05/2015
04/2016
09/2016
12/2016

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

 



 

 

 

31.10.05
 
Fui hoje à tarde aos Cinemas Millenium-Avenida (Coimbra) ver o novo filme da dupla Wallace&Gromit. A dupla continua imparável, embora na versão portuguesa, Wallace perca alguma da sua personalidade - a dobragem tem os seus custos.
Mas com este post quero, especialmente, pedir a todos os que vivem em Coimbra ou que por lá passam, que apoiem o Avenida. É preciso comparecer para que o projecto de cinema alternativo, cinema europeu ou cinema americano de qualidade possa sobreviver. Depois não se queixem, nem digam mal do cinema em Coimbra.
Resumindo : este é um post anti-cinema-pipoca !
Todos ao Avenida !


0 Comentários
30.10.05
 

Outono.
Já que o é, que chova, que continue o vento. Tudo menos este silêncio, agora, cada vêz mais pesado.








Michael Porter
Fallen tree in Autumn rain

0 Comentários
 
Não cumpri o prometido, o que em Portugal só me fica bem !
Ainda não publiquei a lista de músicas que servirão de base para a IF - Colect.
O caudal de informação, ou por mail, ou através da minha memória, não pára. Assim, não vou lá.
Decidi não me lembrar de mais nada (fingir ...).
Publicarei a lista, ainda assim longa, da qual sairá a selecção final. Tentarei colocar extractos sonoros para a maior parte dos temas.

O projecto das T-shirts, bem como outro marchandise da Íntima Fracção, encontra-se em finalização. Em princípio, não haverá produção em série. Com excepção do CD, serão peças/objectos únicos. Julgo que este processo está mais de acordo com a IF.

0 Comentários
 
IF 29/30 Outubro 2005

# Animal Collective : Loch Raven
# Rollerskate Skinny : All morning breaks
# The Czars : Autumn
# A Guy Called Gerald : Millenium Sanhedrin (com Ursula Rucker)
# April March : Charlatan
# David Toop and Max Eastley : Burial Rites
# King Crimson : Cadence and Cascade
# Susanna and the Magical Orchestra : Time
# Sengei Ono : I think of you
# Jane Siberry : It can't rain all the time
# Teenage Funclub : Tell me what you see
# Organ Language : Calm before calm
# Sigur Rós : Hoppipola

Para ouvir e fazer download AQUI.

0 Comentários
 


Strawberry Field

Só sobra o portão. O orfanato, com o nome que Lennon utilizou para Strawberry fields forever, há quase um ano (Janeiro de 2005) já só tinha à sua guarda três crianças. A integração em famílias de acolhimento, em Inglaterra, passou a ser a alternativa a estas instituições. (Que tal o desmantelamento da Casa Pia ?) Strawberry Field, fica em Woolton, perto do local onde Lennon cresceu. Quando era muito novo, John costumava tocar e cantar com dois amigos nos bosques que rodeiam o orfanato. Havia também lá uma festa anual, onde habitualmente ia com a tia Mimi. A canção foi composta no final de 1966, em Almeria (Espanha), onde John estava a filmar. Gravada entre 21 e 24 de Novembro, é suposto ser a mais complexa gravação dos Beatles. Antecipando as misturas actuais, o que se ouve na versão final (à venda em Fevereiro 1967) é precisamente isso, uma mistura entre a gravação dos quatro Beatles, com uma outra feita por George Martin com uma orquestra e o baterista Ringo Star. Há ainda uma banda magnética que foi manipulada para criar atmosferas novas.

Os Beatles cantaram e tocaram quase tudo de uma forma inovadora, mas no fundo verdadeiramente simples.

In my life (Rubber soul - 1965)

There are places I remember ...

All these places had their moments,
With lovers and friends I still can recall,
Some are dead and some are living,
In my life I?ve loved them all.

But of all these friends and lovers,
There is no one compared with you,
And these mem?ries lose their meaning
When I think of love as something new.

Though I know I?ll never lose affection
For people and things that went before,
I know I?ll often stop and think about them
In my life I love you more.

Though I know I?ll never lose affection
For people and things that went before,
I know I?ll often stop and think about them
In my life I love you more.
In my life I love you more.

In my life, é uma das minhas canções favoritas dos Beatles. Uma cançãozinha simples que traduz há muito a minha própria experiência de nostalgia, vivida na passagem por um internato num colégio quando adolescente.



Esta é uma fotografia de Strawberry Field. Provavelmente tirada há 40 ou 50 anos. A expressão vazia (ou resignada ?) do rapaz, conta-nos toda a sua história.
"Life is easy with eyes closed ...", cantava Lennon.

0 Comentários
29.10.05
 

Mudança de hora na madrugada de domingo. Relógios devem ser atrasados 60 minutos às 02h00 em Portugal continental e na Madeira e à 01h00 nos Açores.

Por uma noite, a ilusão do tempo a andar para trás !

"I think that even the most rootless traveler sometimes has to put his foot down somewhere familiar," says Joe Jackson. "You can't only go forward. Sometimes it's healthy to look back."

0 Comentários
28.10.05
 
Wizard of is
(Tom Rapp)



Um belo disco de 1969.
These things too, pelos Pearls before swine.
É muito provável que tenham sido "pérolas a porcos", mas desde o início da IF que o utilizo. Vale ainda a pena dizer que há discos que não envelhecem ?

Everything you see all around you
Will roll away on wheels of tomorrow ...

Mas ainda cá está !


0 Comentários
 
Desta vez por antecipação, já está disponível para download a Íntima Fracção que passará na próxima noite de sábado para domingo (30 Outubro), à 1 da manhã.

0 Comentários
26.10.05
 
Convite para ver, hoje !
O que é possível transmitir através da internet.
Experimentar AQUI ... é fácil.

0 Comentários
 
Audiências rádio - Bareme.
Tanto que é feito em nome delas e, afinal, sempre continua a ser verdade que há mais marés do que marinheiros.

0 Comentários
24.10.05
 


Remembranza é o mais recente disco de Murcof (Fernando Corona - electrónica mexicana).
Depois de Martes, há 3 anos, do qual já escolhi Mes para fazer parte da lista a caminho da colectânea IF, este continua a ser um disco em que as máquinas criam uma atmosfera densa, umas vêzes nostálgica, outras angustiada, mas que retrata uma boa parte da Humanidade que hoje não se sente bem no mundo e já não sabe como dizê-lo sem banalidades. Estes discos de Murcof não têm palavras, mas falam muito.


0 Comentários
 
Depois da partida do Lak, entrei gradualmente naquela (perigosa) fase de acreditar mais nos animais do que nos homens (quanto mais conheço os homens mais gosto dos cães).
De facto, se no meio da tempestade eles se mantêm fiéis, os homens vacilam ao primeiro vento.
Leonardo (Da Vinci), de cuja sabedoria ainda hoje se não duvida, há séculos que sustentou:"Haverá um dia em que o homem conhecerá o íntimo dos animais. Nesse dia, um crime contra um animal será considerado um crime contra a própria humanidade".

0 Comentários
23.10.05
 


Ontem à noite, foi o que vi.
Da minha janela, a rua vazia, o persistente silêncio que me confunde o pingar de uma torneira com o saltar seco dos ponteiros do relógio.
Muito mais do que a chuva lá fora.
Raining in my heart ...

Raining in my heart, é uma canção de Buddy Holly. Buddy tornou-se um mito da música popular, depois de ter morrido apenas com 22 anos num acidente de aviação no Iwoa - EUA, em 1959. No meio de uma tempestade de neve, um pequeno avião levou três músicos que se encontravam a meio de uma tourné. Holly, grande influenciador dos primeiros grupos da pop/rock britânica, Richie Valens, o xicano que tinha conseguido conquistar os brancos (e Donna, a verdadeira namorada imortalizada na canção com o mesmo nome) e ainda Big Bopper, um verdadeiro símbolo da leveza e criatividade do final da década de 50 - Chantilly lace.
Criou-se a ideia de que esse tinha sido the day music die. Não terá sido tanto assim, mas uma parte daquela música ficou para sempre num lago gelado do Iwoa.
Robert Wyatt recuperou Raining in my heart, no CD Cuckooland (2003), numa versão tocada apenas ao piano e sem voz. Robert tem razão, a melodia não precisa de mais nada.



... but it's raining, raining im my heart ...

( post carregado de links que valem ser visitados, para além de todas as músicas referenciadas)


0 Comentários
22.10.05
 
A IF, afinal, só regressa no próximo sábado.
Hoje, a noite da RUC é cheia com os concertos da festa da Latada.
Pim ...

0 Comentários
21.10.05
 
A Íntima Fracção regressa à RUC, na nova grelha de 2005, nas noites de sábado para domingo à uma da manhã (já este sábado à noite). Logo a seguir vem o replay do Vidro Azul. Sugiro vivamente estas noites ...
Para podcast, a IF vai continuar aqui.
O mais difícil foi regressar ao estúdio, sózinho. Sem companhia, nem cumplicidade.



Estas fotografias são dos últimos tempos (talvez) verdadeiramente felizes no estúdio.
Depois, vieram as sombras. A rude interrupção. O vazio. A mágoa. Os vagos ânimos. De novo um outro vazio. As dúvidas.

0 Comentários
 
Atenção ! Estão para chegar tempos ainda mais difíceis. Não acreditam ? Recordem ou fiquem a saber AQUI.

0 Comentários
19.10.05
 
Olha ... a TSF descobriu o Podcasting !

"A rádio de informação TSF vai passar a disponibilizar gratuitamente on-line programas para descarregar e ouvir no computador ou noutro dispositivo, como por exemplo os populares iPod, da Apple. A iniciativa, que arranca até ao fim do mês, foi apresentada pelo director, José Fragoso, como a entrada da estação na era do podcasting, com o objectivo de permitir que alguém que perca um programa que queria ouvir o possa fazer numa altura em que lhe seja conveniente."

0 Comentários
18.10.05
 
" ... afirmo o primeiro encontro na sua diferença, quero o seu regresso, não a sua repetição." R.Barthes - Fragmentos de um discurso amoroso

0 Comentários
17.10.05
 
A primeira edição da Íntima Fracção, a 8 de Abril de 1984 - Antena 1, realizou-se numa noite de sábado para domingo. Passados mais de dois anos, mudou-se para as noites de domingo para segunda. Mais 3 anos, já na TSF, continuou nas noites de domingo. Tirando o período de emissões diárias (1993 a 96), a IF seguiu sempre nas madrugadas de domingo para segunda. No último ano de presença na TSF, e antes de ter sido rudemente interrompida ao fim de mais de 14 anos naquela estação, a IF tinha regressado às noites de sábado. No primeiro ano da RUC, retomou as noites de domingo. Entra agora ali no seu segundo ano e regressa às noites de sábado para domingo entre a 1 e as 2 h (já de 22 para 23 de Outubro).

Sinto a dúvida (legítima, não ?), mas vou dar-lhe o benefício ...

0 Comentários
 

Há um gato que tenta, há dias, desesperadamente entrar-me em casa. Empurra as vidraças, esgueira-se por uma janela ou porta aberta, mia em longos chamamentos. Já o encontrei a dormir sobre as camas, em sofás, no estúdio !
Quem (o que) é este gato ?

0 Comentários
16.10.05
 
Esta segunda à noite, à porta do Vidro Azul, Novembro.
Ouvir enquanto vê.


0 Comentários
14.10.05
 
Para muito breve (dois ou três dias) a publicação da lista de temas sugeridos pelos ouvintes como referências da IF. A esses juntam-se memórias próprias. Da longa lista, que será quanto possível também audível, sairá a colectânea Íntima Fracção.
Foram mais de uma centena de sugestões. Obrigado.
A lista a ser publicada, pela exagerada extensão se fossem divulgadas na íntegra todas as sugestões, resulta já de uma primeira selecção. Mesmo assim bastante vasta (21 anos ...), será apenas a base de partida para a produção da Colectânea.

0 Comentários
 
Na nova grelha da RUC, a Íntima Fracção regressa nas noites de sábado para domingo à 1 hora. De volta na noite de 22 para 23 de Outubro. Entretanto, já estão disponíveis na web as edições de 3 e 10 de Outubro (emissão Lak).

0 Comentários
12.10.05
10.10.05
 
A França, viva !









0 Comentários
 
hmm..was a friend of mine
hmm..is a friend of mine
He never done no wrong
and a thousand miles from home
and he'd never harm no one
and he was a friend of mine

Informação residual : o Lak nasceu em Liège - Bélgica, a 18 de Março de 1996. Dois meses depois viajou de comboio entre Liège e Bruxelas. Veio de avião para Lisboa e de automóvel para Coimbra. Durante a sua vida demonstrou que um cão Rottweiler só será mau se o prepararem para isso. Morreu em Condeixa, a sul de Coimbra, a 5 de Outubro de 2005.
Só agora entendi a mágoa de quem perdeu amigos destes.

0 Comentários
 
IF 9/10 outubro 2005
EMISSÃO LAK

# Big Star : Holocaust
# This Mortal Coil : Holocaust
# Cat Power : He was a friend of mine
# Sétima Legião : Por tua imensa saudade
# Air : Ce matin la
# This mortal coil : It'll end in tears
# Lloyd Cole : The see and the sand
# Tindersticks : Nosferatu
# Lisa Germano : Into the night
# The Smiths : Well i wonder
# Brian Eno : Long way down
# Scott Walker : Boy child
# Ryuichi Sakamoto : Forbidden colours (piano solo)
# Buffalo Springfield : Expecting to fly
# Carlos Bica : Mr. Brody

brevemente para descarregar da net

0 Comentários
8.10.05
 
As edições da IF regressaram à página da ESEC Rádio on-line para todos os que as quiserem guardar.

0 Comentários
 

You thought that it could never happen
To all the people that you became,
Your body lost in legend, the beast so very tame.

(Leonard Cohen)

0 Comentários
7.10.05
 
He was a friend of mine
Ah he was a friend of mine
Every time I think about him now
Lord I just can't keep from cryin'
'Cause he was a friend of mine

(Bob Dylan)

também pelos Byrds e por Cat Power (versão na próxima Íntima Fracção)

0 Comentários
6.10.05
 
Eu devo ter sentido o aviso chegado com a súbita lembrança de Holocaust. Levei-a em conta das listas com memórias da IF que os ouvintes têm feito chegar. Estava enganado. Havia um sentido transcendente para o regresso daquela terrivelmente trágica música. Perdi ontem o meu melhor amigo. O meu inseparável companheiro dos últimos nove anos e meio. Aquele que falava comigo em silêncio. O que atravessava dias, noites, madrugadas, dias ensolarados, quentes, frios, brumas, nevoeiros, chuvas, ventos, trovoadas, vales, montanhas, caminhos duros, estradas suaves, luares, luas novas, lagos, ribeiros, jardins, portas, escadas, tudo, para estar junto de mim. Aquele que me acompanhou sem um ruído, compenetrado, no estúdio, querendo apenas estar, sem interferir, sem perturbar. O que me defenderia, contra tudo e todos. Aquele que me passava de novo o ânimo, quando parecia perdido. Que nada esperava, a não ser eu mesmo e o afago de amigo, que seria sempre menor do que o dele.
Deve haver inúmeras narrativas semelhantes, muito mais eloquentes, criativas, verdadeiramente literárias. Muitos blogueiros, dos inúmeros intelectuais que aconchegam a blogosfera, citarão uma infinidade de autores ("como dizia ...") mais ou menos obscuros (os que os outros não conhecem), quem sabe "os gregos" até, com textos belíssimos sobre este estado de espírito. Não me servem. Desprezo-os. Aos autores e aos intelectuais bloguistas. Ninguém escreverá seja o que for, que eu não permitirei. Ninguém escreveu uma linha que se referisse ao meu amigo, excepto o Hugo, numa entrevista comigo na Pública, há rigorosamente dois anos -"sempre acompanhado pelo LAK, o rottweiler bom". Existem. Seres que ultrapassam a sua condição e se situam num lugar indefinível.
Agora, um silêncio que é o oposto daquele que, desde sempre, procuro na IF. Sentidamente abandonado e perdido. Os espaços e os passos vazios.
De novo, sei lá como, sempre à espera de uma resposta, de um sinal, da intimidade de uma esperança.
Perdi o sonho dos meus quatros anos : o meu amigo de patas e pêlos.


0 Comentários
5.10.05
 
Uma das canções mais conhecidas dos This Mortal Coil - Holocaust - foi escrita por Alex Chilton. Desde o início, a IF utilizou-a como um bilhete de identidade. Nem sempre adequado, é verdade. Mas seremos sempre os mesmos ?

Holocaust

Your eyes are almost dead
Can't get out of bed
And you can't sleep
You're sitting down to dress
And you're a mess
You look in the mirror
You look in your eyes
Say you realize
Everybody goes
Leaving those who fall behind
Everybody goes
As far as they can
They don't just care
They stood on the stairs
Laughing at your errors
Your mother's dead
She said, "Don't be afraid"
Your mother's dead
You're on your own
She's in her bed
Everybody goes
Leaving those who fall behind
Everybody goes
As far as they can
They don't just care
You're a wasted face
You're a sad eyed lie
You're a holocaust



Na versão de This Mortal Coil, é Howard Devoto quem canta, com um piano tocado por Steven Young, dos Colourbox (que utilizei na IF através de Arena) . Quanto ao original de Alex Chilton, só agora o descobri. Podem ouvir os dois através das capas dos discos.


0 Comentários
4.10.05
 
" ... parece que as pessoas trabalham, trabalham, trabalham - só para se manterem em pé." Cat Power.


0 Comentários
3.10.05
 

BOR LAND

Editora discográfica fundada em Outubro de 2000, que ao longo de cinco anos apresentou novos sons de projectos como Old Jerusalem, Alla Polacca, Complicado, The Unplayable Sofa Guitar ou Ölga. Pela vontade de produzir e editar discos de qualidade, a Bor Land conquistou de forma singular um lugar de destaque, sendo actualmente uma das mais importantes e bem sucedidas editoras independentes portuguesas. Em tom de aniversário, Outubro é presenteado com concertos, a edição de ?Can Take You Anywhere You Want?, uma compilação composta por um duplo-cd e o novo trabalho a solo do contrabaixista Carlos Bica, ?Single?.

Can Take You Anywhere You Want :: BL029CD

CD1 :: Old Jerusalem :: Roll Müic :: München :: Bildmeister :: Bypass :: The Allstar Project :: Spatial White Noise :: Rose Blanket :: The Unplayable Sofa Guitar :: Puget Sound :: Lemur :: Jeffrey Lewis :: Plasticine :: Gordon's Deal /

CD2 :: Starlux :: Norton :: Ölga :: Complicado :: Stealing Orchestra :: Most People Have Been Trained To Be Bored :: Carlos Bica :: In Her Space :: Kafka :: Alexandre Soares /Jorge Coelho :: Mindelo :: The Astonishing Urbana Fall :: Alla Polacca.

Esta edição está disponível para download completo e gratuíto no site da Bor Land (consultar catálogo).
Info + Mp3 :: Esta edição está disponível para download completo e gratuíto em www.bor-land.com
Comprar :: 14.95? :: www.cdgo.com/artigoDetalhe.php?idArtigo=2979149Data Edição
:: 2005.10.06

Na lista dos concertos não consta nenhum com os Alla Polacca, o que lamento. Trata-se, já o afirmei, do projecto português mais próximo do espírito da Íntima Fracção.
Quanto à Bor Land, para mim, é um contentamento (e um espanto !) verificar que completa cinco anos. Como resistirá à ditadura das playlists ?

0 Comentários
 
IF 3 Outubro 2005

# Sigur Rós : Intro
# Sigur Rós : Andvari
# David Pajo : Francie
# extracto de entrevista com Margueritte Duras (piano de fundo por Virginia Astley)
# Richard Jobson : The happiness of lonely
# Robert Wyatt : Raining in my heart
# Nick Cave : Far from me
# Alla Polacca : A Cláudia ...
# Slowdive : Blue skied an' clear (sobre Sengei Ono)
# extracto da mensagem espiritual de Gandhi pelo próprio
# Lakshmi Shankar : I am missing you
# Mono : Where i am
# Stuart Staples : Untitle
# Sengei Ono : Enishie
# Air : Alone in Kyoto

0 Comentários
início