Pouco para dizer, muito para escutar, tudo para sentir. A propósito do programa de rádio
ÍNTIMA FRACÇÃO OUVIR ON-LINE ou PODCAST

 


>
Íntima Fracção
> um programa de Francisco Amaral
>
> Contacto:
franciscoamaral@gmail.com


> RSS Feeds

>
Arquivos
12/2002
01/2003
02/2003
03/2003
04/2003
05/2003
06/2003
07/2003
08/2003
09/2003
10/2003
11/2003
12/2003
01/2004
02/2004
03/2004
04/2004
05/2004
06/2004
07/2004
08/2004
09/2004
10/2004
11/2004
12/2004
01/2005
02/2005
03/2005
04/2005
05/2005
06/2005
07/2005
08/2005
09/2005
10/2005
11/2005
12/2005
01/2006
02/2006
03/2006
04/2006
05/2006
06/2006
07/2006
08/2006
09/2006
10/2006
11/2006
12/2006
01/2007
02/2007
03/2007
04/2007
05/2007
06/2007
07/2007
08/2007
09/2007
10/2007
11/2007
12/2007
01/2008
02/2008
03/2008
04/2008
06/2012
05/2015
04/2016
09/2016
12/2016

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

 



 

 

 

29.9.03
 
No blog IF NO AR - ideias para a continuidade da Íntima Fracção, a Cristina colocou esta imagem que tem tudo a ver com a IF. Chamou-lhe " em suspensão ".



Entretanto ...
13:05 - terceira estação de rádio que mostra o seu interesse na IF.
Obrigado. Confesso que não esperava isto.

1 Comentários
 
Um dos mais belos posts sobre a IF colocados na blogosfera, está no Mar Salgado e foi escrito pelo Pedro.

"O TRAÇO AZUL JÁ ENTROU NO FUTURO: Estou certo de que, hoje, fomos muitos aqui. Os mapas complicaram-se - agora mudam com tanta rapidez - , mas a IF já está no seu caminho, leaving for home. Tonight."

Uma brilhante colagem partindo de uma frase-chave do programa ( há um traço azul no futuro incandescente ), com a citação do tema Maps of the world, com John Cale e Bob Newirth, uma memória dos anos 90 da IF.
Só não sei ainda se a viagem vai ser longa ou breve.


0 Comentários
28.9.03
 
As primeiras mensagens que recebi durante a última IF na TSF, vieram do companheiro da Rádio, Francisco Mateus, que dedicou 15 minutos da emissão da própria TSF (antes das notícias da 1 hora) ao programa e às influências que dele recebeu há largos anos. Coisa que não poderá voltar a fazer tão cedo, porque a emissão da TSF vai começar a funcionar com playlist. Logo depois, mensagens do Brasil e da Venezuela !
Antes que me perguntem de novo, já que houve 4 mails a perguntar o mesmo (entre outras coisas), aqui fica uma confirmação : não foi por acaso que passei o épico (ou será angustiado ? ou uma angustia épica ?) Sweden, pelos Divine Comedy (Neil Hannon). I would like to live in Sweden ...When my work is done ... Where the snow lies crisp and even’neath the midnight sun ... Safe and clean and green and modern ... Bright and breezy free and easy ... I’ll grow wings and fly to sweden ... When my time is come ... Then at last my eyes shall see them ... Heroes every one ...Ingmar Bergman ... Henrik Ibsen ... Karin Larrson ... Nina Persson ".
É o que me apetece.
Também não foi por acaso que passei a gravação, quase integral, do final do célebre concerto de Elvis Presley, em 1956 - 15 de Dezembro, Shreveport, LA. Hirsch Youth Center, Louisiana Fairgrounds , com a frase do apresentador, dita para acalmar uma assistência nervosa que teimava em não deixar que o espectáculo continuasse : "Elvis has left the building". Não, não. Não vale a pena fazer comparações com o Elvis. Apenas me agrada como termina o registo : " se voltarem para os vossos lugares e se sentarem, o espectáculo continua dentro de 5 minutos."


0 Comentários
27.9.03
 


Esta noite, entre a uma e as três, passa a última IF na frequência da TSF.
Entretanto, nas primeiras 24 horas depois de ter tornado pública a suspensão da IF, DUAS estações de rádio mostraram-se interessadas em ter a IF nas suas frequências. Também uma rádio-online ofereceu a casa para a IF passar os dias de retiro que fossem necessários.

0 Comentários
 


A parte de trás do palco do concerto dos Stones fica virada para aqui, mas é possível ver o que se passa através desta webcam.

0 Comentários
25.9.03
 
ÍNTIMA FRACÇÃO SUSPENSA.

No próximo sábado cumpre-se a última "Íntima Fracção" na TSF. Já não é a primeira vez que o programa é suspenso. Quando da passagem da Antena 1 para a TSF, há 14 anos ( ! ), a IF parou durante 4 meses. Durante os 20 anos que completa a 8 de Abril de 2004, foi o único período em que a sua transmissão esteve suspensa.
A IF é um programa de rádio de autor, por isso, não faz sentido dizer que acabou. É absurdo dizer a um pintor que deixe de pintar porque uma galeria não lhe expõe mais os quadros. Mesmo que a esta galeria se tenham dedicado 14 anos de vida.
Assim, a IF continua. Procura casa. Uma casa da Rádio onde se abra a janela e se deixe o som, o rumor do coração e da música, sair pelo meio da noite ... flutuando ... através do espaço infinito.
O Luís, de A natureza do Mal, disse-me tudo : "Nunca poderá acabar, porque é outro o lugar onde aquela música toca, foi sempre outro, inacessível aos gabinetes dos pequenos e grandes mandantes, o lugar, onde, suavemente está".
Agradeço todo o apoio dos ouvintes que, por diversas formas, me lançaram dúvidas e angústias, mas também porções de um enorme e (acreditem) inesperado afecto. Quase não respondi a mails, fui evasivo, eu sei. Às centenas de ouvintes que enviaram mensagens a que não respondi, garanto agora que a IF não acabou. Aos bloggers que não conheço, mas que aqui e ali juntaram esforços e criaram um blog colectivo para receber "Ideias para a continuidade da IF", devo dizer que o vosso trabalho e dedicação, para lá de agora se revelar de grande utilidade, me fez acreditar de novo que vale a pena trabalhar para a fruição de outros. Aos autores de Blogs que não nomeio, já que deve haver vários que não li, e que escreveram posts e linkaram sobre a IF, tenho de dizer que, com eles, a mágoa se desfez um pouco em cada noite.
A IF não acabou.
Está a cantar baixinho, parada, num caminho escuro à espera da aurora.
A IF não acabou.
A maioria das aves que migram orientam-se pelo sol, mas há espécies que preferem utilizar as estrelas como bússula.
A IF não acabou.
Enquanto procura de novo "a casa", embrulhar-se-á na imensa rede e ficará à espera do download de quem a amar.
A IF não acabou.
Observa bem e sente ! Sente mais do que vês - a escura noite, tornando-se, lentamente, em clara madrugada.
A IF não acabou.
"Há um traço azul no futuro incandescente".


0 Comentários
 
O psicótico vive no temor da queda ( pelo que as várias psicoses não seriam senão defesas ). Mas o " receio clínico da queda é o receio de uma queda que já se experimentou ( primitive agony ) [ ... ] e há momentos em que um paciente sente a necessidade de lhe dizerem que a queda, que ele tanto teme e lhe mina a vida, já se verificou". ( Winnicott )

0 Comentários
 


When you're standing on the crossroads
That you cannot comprehend
Just remember that death is not the end
And all your dreams have vanished
And you don't know what's up the bend
Just remember that death is not the end
Not the end, not the end
Just remember that death is not the end




0 Comentários
23.9.03
 
A RÁDIO foi uma Arte.
A RÁDIO é uma Arte ?
A RÁDIO poderá ser uma ARTE ?



1 Comentários
 


Em 1984, um pouco antes de começar a Íntima Fracção, passei a Serra da Estrela de carro e sózinho. O céu, que estava azul, passou a cinzento chumbo, o tal que dá neve. No topo da serra, com a noite a cair, a única referência que tinha para saber onde era a estrada estava numas barras pretas e amarelas, que é para isso que lá devem estar. Na descida para Seia, a neve desapareceu.
É assim que me sinto : de novo no alto da Serra. As barras que me amparam, tomam agora outros formatos. Não sei quem colocou lá as outras. Não conheço quem colocou agora estas, mas posso dizer obrigado. Não conheço, mas descobri-lhes as assinaturas. Aqui e ali.

0 Comentários
20.9.03
 
INTIMA FRACÇÃO
20 / 21 de Setembro de 2003

# Smog : Back in school
# Múm : On the old mountain radio
# Prefab Sprout : Andromeda Heights
# Dick Hyman : Mack the knife
# Future 3 : Alison
# Dionne Warwick : Trains , boats and planes
# Fred Frith : Trains , boats and planes
# Blue Nile : From a late night train
# For Stars : There was a river

# Johnny Cash : We'll meet again
# Lambchop : Autumn's vicar
# Alpha : Blue Autumn
# Tom Verlaine : Depot ( 1958 )
# Suicide : Surrender
# Tindersticks : Running wild
# Manual : Blue skied an' clear
# Parker and Lily : My apartment complex
# Parker and Lily : Bridge and tunnel
# John Cale : The soul of Carmen Miranda
# Elvis Costello : Someone took the words away

Créditos sobre # Vera Lynn : We'll meet again
Música suplementar # Ulrich Schauss : Crazy for you

sons : telefones, máquinas em parque de diversões, vento, riacho, mar, avião, torre de controlo, elevador, comboio, sirene de barco, Corvette 62', som original do apresentador do espectáculo de Elvis Presley - 1957 : Elvis has left the building.

Textos :

" Na Íntima Fracção da noite ... não é o silêncio ... é o barulho do coração. Um ruído, um rumor que se levanta. "
" Pouco para dizer e muito para escutar. Tudo para sentir e sempre a espera pela intimidade de uma esperança ...
Recomeçando a cada instante. "
" Suaves e brilhantes reflexos, como uma pequena pérola rolando pela palma da mão estendida à janela da
escuridão desta noite. O clarão, o brilho mais intenso, já o sabemos, vem sempre de dentro. " (F.A.)

0 Comentários
19.9.03
 
ENCONTRO DE WEBLOGS em BRAGA - UNIVERSIDADE DO MINHO.
Uma breve reflexão sobre o blog da Íntima Fracção.

0 Comentários
 


Dreyfuss ( Curt ) entra no coração da rádio. Edifício vazio. Wolfman Jack, só, no estúdio.
São quase 5 da manhã.

You're Sixteen (You're Beautiful and You're Mine) - Johnny Burnette

0 Comentários
18.9.03
 
A solidão dos viajantes da noite

"Each nightscape also shows a train, often reduced to a mere blur, which evokes the loneliness of late-night travelers."

Peter Oxley



# Blue Nile : From a late night train


From a late night train
Reflected in the water
When all the rainy pavement
Lead to you
It's over now
I know it's over
But I can't let go

The cigarettes, the magazines
All stacked up in the rain
There doesn't seem to be a funny side
It's over now
I know it's over
But I can't let go

From a late night train
The little towns go rolling by
And people in the station
Going home
It's over now
I know it's over

But I love you so

in. Hats, 1989

0 Comentários
 
IF.
No meio da noite
Não é o silêncio ...
é o barulho do coração
( um ruído que não interessa ? )

0 Comentários
 

0 Comentários
17.9.03
 
Não consigo discutir algumas mudanças. A do " pi...pi...pi " horário da RDP é uma delas. Durante anos, de manhã, à tarde e à noite, abri-lhe a porta. Ou era a janela ?
coisas que não mudam e nos dão segurança.

0 Comentários
16.9.03
 


Pode não ter sido a primeira vez que escrevi isto, mas encontrei-o agora mesmo numa folha saída de um caderno onde anotei ideias para o princípio da IF. Para mim, é um pouco da minha vida. Para os seguidores da IF, poderá ser uma curiosidade. Para os outros, certamente, não são mais do que palavras rabiscadas num papel. Como aprendi com Cortázar, se alguém encontrasse esta folha, o mais provável era usar o verso para tomar nota da chave do totoloto. Ou, quem sabe, para embrulhar um ramo de salsa que se foi buscar à mercearia. Cortázar era mais radical ( ai pois era ...). Para ele, tratava-se de um jornal. Depois de passar por várias mãos, uma velhota encontra-o e leva-o para casa. No caminho usa-o para embrulhar meio quilo de nabos, que é para o que os jornais servem depois destas excitantes metamorfoses.

0 Comentários
14.9.03
 


Now I think I know
What you tried to say to me
How you suffered for your sanity
How you tried to set them free
They did not listen they're not listening still
Perhaps they never will.


Don McClean escreveu e cantou "Vincent". Talvez seja ( não parecia ) um bocadinho piegas. Seja como for, diz a verdade.

0 Comentários
13.9.03
 
Esta noite na IF.
Há sempre alguém que se lembra. Por isso não estou sózinho.



"...and this is how you can be walking and falling at the same time." Laurie Anderson.


0 Comentários
 


Johnny Cash. 1932 - 2003.

Há uns posts atrás, escrevi a letra de uma canção de Cash. Quase desde o princípio que passa na IF, através de Nick Cave. Esta noite também.

I'm a child of this age
Locked into the pages of your book
And when I am but dust and clay
And all the children stop to take a look

Will they marvel at the miracles I did perform
And the heights I did aspire
Or will they tear out the pages of the book
To light a fire

With the rain on my face
There is no place that I belong
Did you forget this fucking singer so soon?
And did you forget my song?


O título original é "The folk singer ". Tenho uma velha cópia em vinil. Uma noite destas, quem sabe, passará na IF. A mudança dos tempos escuta-se num pormenor. Cash, no disco, pergunta " Did you forget this folk singer so soon? ". Nick Cave pergunta o que está aqui em cima.
A primeira vez, que me lembre, em que ouvi Johnny Cash, foi numa faixa que ele canta a meias com Bob Dylan no álbum "Nashville Skyline". O disco que me chamou até ele foi " At San Quentin (The Complete 1969 Concert [LIVE]. No meu juvenil entusiasmo, naquela época, só pensava em sair do país. Quando Cash cantava " San Quentin i hate every inch of you ... ", e os presos para quem ele cantava explodiam em aplausos, eu sentia-me também daquele lado. Devo-lhe esta solidariedade longínqua.


0 Comentários
12.9.03
 
ÍNTIMA FRACÇÃO
13 / 14 de Setembro de 2003

# Leonard Cohen : Love calls you by your name
# Lambchop : I'm glad i never
# Lambchop : The daily growl
# Velvet Underground : Sunday morning
# Astor Piazzolla : Liber tango
# Kraftwerk : Prologue
# Red House Painters : Instrumental
# Tindersticks : Until the morning comes
# Alpha : As far as you can
# Blue Nile : From a late night train
# Jeanne Moreau : India song

# Belle and Sebastian : Night walk
# Paddy McAloon : I'm 49
# Roger Eno : Swimming
# Belle and Sebastian : Fiction (reprise)
# Barry Adamson : Everything happens to me
# Nick Cave and the Bad Seeds : The singer
# Smog : Sweet treat
# Cat Power : Wild is the wind
# Laurie Anderson : Walking and falling
# Montgolfier Brothers : Inches away
# Guy Béart : Vous
# Tom Waits : I'm still here

créditos sobre # The Box Tops : I'm your puppet
música suplementar # Antenna : Memo

Textos

" A música desencadeia o alento para prosseguir em pleno desconhecido, onde só às apalpadelas é possível continuar. "
" Chegar às palavras é já ter-se perdido de si-mesmo. As palavras são um ser-no-mundo, um artifício para revelar o irrevelável."
" Os ouvidos, e os olhos; e os ouvidos, e os olhos; e os ouvidos ... O caminho repete-se eternamente, e tudo está já dito, desde sempre, desde o princípio que tudo foi dito, e só nos cabe repetir os ouvidos, os olhos escutados, repetir, e ser escutado. É preciso ir até à exaustão dos ouvidos para alcançar a visão dos olhos. "
" Tudo aquilo de que sou capaz de desistir deixa de me interessar. Interessa-me apenas o inabdicável. "
" O problema é : como passar aos actos necessários ? Como ganhar força para abandonar o lago de silêncio, para deixar o paraíso ? "
" O final, a conclusão do ciclo, o círculo per-feito : a música. Nada há que eu entenda, nada há que eu seja, que eu alcance. A música, universal e neutra, só ela persiste, impessoal, imorredoura." ( João Wiborg )

0 Comentários
 


A notícia sobre os bilhetes esgotados para o espectáculo dos Stones, deixa-me à vontade para dizer alguma coisa sobre o assunto. Mas estou sem forças para desenvolver argumentações. Mesmo assim, ao chamar-lhe espectáculo e não concerto, já devo ter dito alguma coisa.
Eu queria era ter visto os Rolling Stones em 1965 ou 66.


Agora, o melhor que posso fazer, é dar uma pequena prenda de consolação aos que não conseguiram bilhete. Se espreitarem aqui, vêem o Estádio em tempo real. O "único" problema é que o palco vai ficar de costas para a câmara. Talvez se veja o Mick Jagger a levar a transfusão de sangue antes do espectáculo ( como fazia o Viren, aquele atleta finlandês que bateu o Carlos Lopes na última volta ).

0 Comentários
 
A Natureza do Mal diz que o meu " par espantoso, maravilhoso " é a Íntima Fracção. Todo o post é maravilhoso e deve ser lido. "Par espantoso".

0 Comentários
11.9.03
 


" Por favor, não desistas, continua para o lado da aurora, prossegue o caminho da claridade. Por favor, não voltes para trás, não adormeças. Fica cristalino, diamantino, por favor, o futuro virá, virá o momento da voz, o fulgor cândido dos olhos. "

( extracto de uma carta recebida em Setembro de 1986, a propósito da Íntima Fracção )

0 Comentários
10.9.03
 
A Íntima Fracção vê-se e sente-se.



" La belle dame sans merci " Sir Frank Dicksee.

0 Comentários
 
Afinal, a Íntima Fracção vê-se.



Écran do editor onde se compõe a Íntima Fracção.

0 Comentários
6.9.03
 
ÍNTIMA FRACÇÃO
6 / 7 de Setembro de 2003

# Paddy McAloon : Sleeping rough
# Red House Painters : Instrumental
# Red House Painters : Summer dress
# The Doors : Summer almost gone
# Pearls Before Swine : The wizard of is
# Smog : A Guiding light
# Alpha : Portable living room
# Murcof : Mes
# Kraftwerk : Prologue
# The Langley Schools Music Project : Desperado
# Múm : Sleep - Swim
# Sondre Lerche : Things you call faith

# Blue Nile : From a late night train
# Montgolfier Brothers : Dream in organza
# sons em estrutura de ligação : Chopin - Étude (Tristesse); Enya (Waterfall) com ruídos captados em ruas
# Brian Eno : Julie with ...
# Virginia Astley : From gardens where we feel secure
# For Stars : There was a river
# Paddy McAloon : I'm 49
# Paddy McAloon : Fall from grace
# Lambchop : Autumn's vicar

créditos sobre # Harry Belafonte : Try to remember
música suplementar # Penguin Cafe Orchestra : Telephone and rubber band

Textos

" Subitamente o vento uiva e bate à minha janela fechada. O céu é uma rede coalhada de peixes sombrios. Aqui vêm
soprar todos os ventos, todos.
Aqui despe-se a chuva.
Passam fugindo os pássaros. O vento. O vento. Eu só posso lutar contra a força dos homens. O temporal amontoa
folhas escuras e solta todos os barcos que esta noite amarraram ao céu.
Tu estás aqui. Tu não foges. Tu responder-me-ás até ao último grito. Enrola-te a meu lado como tivesses medo.
Porém mais que uma vez correu uma sombra estranha pelos teus olhos. "

[ Íntima Fracção ] " deixa-me lembrar como eras então, quando ainda não existias ". (P.Neruda)




0 Comentários
4.9.03
 
Este pode ser o lago de Narciso. Para quem o vir assim, basta espreitar e conferir a imagem que lhe é devolvida.
Não procuro o lago. Tento compreender as relações, complexas, que se estabelecem através da IF. A maior parte dos mails que recebo, a propósito do programa, são fortemente emotivos. Tenho consciência do que faço. Não entendo é como é que sendo a rádio um meio tão propiciador à criação de ilusões e acima de tudo de momentos efémeros, a emoção se mantém, persiste.

" EU CONTINUO DO OUTRO LADO DO PROGRAMA, EMBORA VOCE NAO ME CONHECA..EU SEMPRE ESTIVE ALÍ. "

" INTIMA FRACÇÃO é, sem dúvida, para mim, mais de que um programa de rádio de muita qualidade. É, também a expressão de um deus, apesar de eu não ser uma pessoa religiosa ... "

" O que eu quero dizer com isto é que eu não chorei por ter deixado [ ... ], eu chorei como uma criança abandonada quando, nesse sábado para domingo, ouvi pela última vez, o seu programa. Porquê isto? ".


Estes três exemplos, retirados de mensagens pessoais, mostram bem o que atrás disse. Eu tento compreender e se existe alguma comunidade cujo ponto comum seja a IF, é esta a hora. Preciso saber.

0 Comentários
3.9.03
 
I'm lost, yes I am lost.
And duty will not track me down;
And duty will not track me down,
asleep among the trees.


( Paddy McAloon )


0 Comentários
 
As "Histórias Urbanas" da Capital da Cultura, não apetecem só pelos filmes.
Vejam o grafismo.


0 Comentários
 
A propósito de um comentário colocado no post sobre o disco que contém o indicativo da Íntima Fracção.
Ainda não entrei na venda de memorabilia. Por enquanto ! Nunca se sabe se não virei a precisar ...

0 Comentários
 


Venezuela à noite, vista do céu. Onde estará o ouvinte da Íntima Fracção que lá vive e me enviou um mail a pedir TODOS os programas desde 1994 ?
Brevemente, talvez, possa ouvir aí mesmo a Íntima Fracção.

0 Comentários
 
Este "movimento blogístico" ( já sei que há quem pense que não há movimento nenhum ... ) tem atraído uma considerável miríade de "estrelas" habituadas aos spot-lights mediáticos. A maior parte é gente que vale a pena ouvir, mesmo quando se discorda. Mas há um grupo que, embora curioso e entusiasmado em ver no que tudo isto dá, se mostra reservado, ou mesmo abertamente contra. Julgo que não têm blogs (claro !), mas utilizam as suas tribunas habituais para deixar críticas ou simplesmente desconfianças. A última veio de Medeiros Ferreira no DN. Segundo este "colunista", tudo não passa de uma versão nova para qualquer coisa que a literatura portuguesa sempre teve : os diários, as reflexões. É verdade. Tão verdade como essa literatura já tinha sido influenciada por coisas vindas do passado. É impossível que assim não seja. Trata-se aqui (blogs) de aproveitar uma nova tecnologia e poder disponibilizar os conteúdos, de imediato, para quem os quiser conhecer. É a diferença.
Para além destas constatações, discordo em absoluto, da ideia que Medeiros Ferreira tem : " ... os blogues dos nossos cibernautas pouco tratam de sentimentos. Estão mais virados para a descoberta da luta política por conta própria. Porque será?". Os sentimentos passam no quotidiano de um generoso número de blogs. Quanto à "luta política por conta própria", já estou de acordo. Para a pergunta de Medeiros Ferreira, há inúmeras respostas, dependendo dos blogs que, supostamente, visitou.

0 Comentários
2.9.03
 
Recomeça hoje o ciclo de cinema "Histórias urbanas", incluído na Capital Nacional da Cultura - Coimbra-2003.

Escolho já "O anjo azul", "A regra do jogo" e "A ultrapassagem" de Dino Risi. Este é um filme que tem para mim um fascínio (só) aparentemente inexplicável. 15 de Agosto de 1962 - Roma. Partida para uma viagem até tão perto e, no entanto, que nos leva tão longe. Preto e branco. Culto. Os anos 60 latinos antes da invasão anglo-saxónica. Os primeiros sinais de desencanto.


0 Comentários
1.9.03
 
The Singer
(Cash, Daniels)

por Nick Cave

As I walk these narrow streets
Where a million passin feet have trod before me
With my guitar in my hand
Suddenly I realize nobody knows me

Where yesterday the multitude
Screamed and cried my name out for a song
Today the streets are empty
And the crowds have all gone home

I pass a million houses
But there is no place that I belong
All I knew to give you
Was song after song after song

All the truths I tried to tell you
Were as distant to you as the moon
Born 200 years too late
And 200 years too soon


I'm a child of this age
Locked into the pages of your book
And when I am but dust and clay
And all the children stop to take a look

Will they marvel at the miracles I did perform
And the heights I did aspire
Or will they tear out the pages of the book
To light a fire

With the rain on my face
There is no place that I belong
Did you forget this fucking singer so soon?
And did you forget my song?



0 Comentários
 


Esta é a capa do CD, editado em 1990 pela EMI-Valentim de Carvalho, " A UM DEUS DESCONHECIDO ", da SÉTIMA LEGIÃO. Nele está contido o tema que serve de abertura à Íntima Fracção ( indicativo ) : Mar de Outubro.
O LP original foi publicado em Julho de 1984, pela editora Fundação Atlântica. Tenho ainda comigo o exemplar que foi utilizado durante anos.
O LP original inclui dois temas editados em Setembro de 1983. Portanto, rigorosamente há vinte anos.
Há uma garantia histórica absoluta. As primeiras IFs não tiveram este indicativo, porque o belo instrumental da Sétima Legião, foi gravado e produzido por Ricardo Camacho, em Paço de Arcos, em Maio de 1984. O modelo base da IF é o actual, tendo a primeira emissão ido para o ar a 8 de Abril de 1984, na Antena 1 da RDP. Devido a algumas opiniões divergentes com sectores da direcção, o formato IF ficou parado desde Maio até Setembro de 84, embora a IF tenha sido sempre transmitida. Foi o modelo originalmente proposto retomado em Setembro de 1984 já com este indicativo, que se manteve na Antena 1 até Setembro de 1989.
Com a minha saída da RDP para a TSF, a IF foi comigo, já que é um programa de autor. A sua tranmissão foi retomada na TSF depois de Janeiro de 1990.
Durante o primeiro mês de emissões ( Abril de 84 - RDP ), o indicativo da IF foi " Radio Prague ", no LP " Dazzle Ships " dos OMD ( Orchestral Manoeuvers in the Dark ) - 04/03/1983

Com estas indicações espero ter respondido a todos os que me solicitaram, ao longo dos anos, informações sobre o indicativo da Íntima Fracção.

0 Comentários
início